CODECE

 

Á Coordenadoria do Desenvolvimento Territorial e Combate à Pobreza Rural planejar e coordenar as ações de apoio ao desenvolvimento sustentável dos territórios/regiões, articula as ações da União, do Estado e dos Municípios voltadas para o convívio permanente com as adversidades climáticas, elabora políticas públicas e diretrizes para a condução e desenvolvimento, busca a melhoria da qualidade e agregação de valor aos produtos locais, promove e apoia iniciativas territoriais, identifica fontes de financiamento e coordena a elaboração de projetos para captação de recursos, promove e estimula a capacitação participativa de recursos humanos principalmente os agricultores familiares e fortalece o desenvolvimento rural sustentável, através da implantação de atividades turísticas pelos agricultores familiares integrando suas atividades aos arranjos produtivos locais.

 

 

PROGRAMAS E PROJETOS

 

PRONAT – Programa de Desenvolvimento Sustentável de Territórios Rurais

É a construção de uma política de promoção do desenvolvimento dos territórios rurais, fundamentada no Programa Desenvolvimento Sustentável de Territórios Rurais (Pronat). O Estado conta com treze territórios, onde seis destes estão inseridos no programa territórios da cidadania. Todos já têm Colegiados Territoriais constituídos, normatizados e em pleno funcionamento com representações da sociedade civil e poder público, nas esferas federal, estadual e municipal. Contam ainda com Planos Territoriais de Desenvolvimento Rural Sustentáveis – PTDRS elaborados como instrumento de Gestão Social das Políticas Públicas implementos nos Territórios.

 

PAA Alimentos – Programa de Aquisição de Alimentos

O programa compra os alimentos diretamente do local da agricultura familiar, gerando renda no campo e garantindo melhoria alimentar e nutricional para o cearense. Todos os produtos adquiridos são doados para entidades sócio assistenciais previamente cadastradas.


Objetivo: Fortalecer a agricultura familiar por meio da geração de renda no campo e aquisição da produção dos agricultores familiares cearenses. Também garantir o direito humano à alimentação por meio da doação dos produtos adquiridos para entidades sócio assistenciais.